Construção Saudável

O Construção Saudável + é um projeto de valor social que atende, de forma inédita e exclusiva, trabalhadores do setor da construção civil no âmbito da saúde e qualidade de vida – e as pessoas que participam de seus meios de convivência tem alcance complementar.
O Sinduscon-PA, por meio de sua Central de Serviços, dispõe de um corpo técnico que, com base científica, desenvolve planejamento e prepara o material para os módulos são aplicados nos canteiros. Os temas são definidos por sondagem aplicada aos trabalhadores durante sua participação nas palestras, que são gratuitas.

Desenvolvido pela Central de Serviços do Sinduscon-PA, o projeto surgiu de uma campanha em julho de 2011 com o propósito de contribuir para a qualidade de vida dos trabalhadores do setor. Nesses seis anos de execução foram criados cinco módulos individuais de palestras socioeducativas sobre prevenção de doenças específicas, e despertando interesse crescente de empresas e dos próprios colaboradores. Uma dessas experiências temáticas refere-se à violência doméstica, obtendo imediata adesão interinstitucional.
Com indicação ao prêmio de Responsabilidade Social da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), o projeto é considerado de fundamental importância para disseminar orientações preventivas na área de saúde e do comportamento social, consolidando um legado de cidadania no Estado. O Construção Saudável já alcançou em torno de 34 mil profissionais em canteiros de obras na Região Metropolitana de Belém (RMB).

Os trabalhadores são os grandes protagonistas e considerados a razão de ser do Construção Saudável. Foram eles que ajudaram a escolher os temas desde o início após consulta direta com acompanhamento técnico.
Em novembro de 2016, o Sinduscon-PA inaugurou uma extensão do projeto, que foi batizada de “Construção Saudável+”. A assinatura de parceria em solenidade presidida pelo desembargador Constantino Guerreiro, presidente do Tribunal de Justiça do Estado (TJPA), com acordo firmado juntamente com a Fundação Pro Paz e a Secretaria Extraordinária de Integração de Políticas Sociais (SEEIPS), que irá vigorar pelos próximos três anos.
O objetivo dessa nova fase é garantir a troca mútua e esforços para diversificar as temáticas e expandir o projeto pelo interior do Estado, utilizando a infraestrutura dos parceiros. O TJPA atua praticamente em todo o Estado e o Pro Paz desenvolve trabalho permanente em oito municípios, correspondentes a polos regionais, com políticas sociais eficazes e que darão segurança de expandir o projeto com planejamento e consultoria técnica necessários.
Com cinco módulos ativos englobando treze temas em seis anos de atividades, o Construção Saudável + totalizou até agora 34.163 trabalhadores beneficiados, com a participação de 176 empresas e 270 canteiros de obras na RMB.

 

O Módulo Especial, que trata das endemias de dengue, febre chikungunya e Zika vírus foi lançado em janeiro de 2016, devido aumento dos índices das doenças causadas pelo mosquito, sobretudo no período do inverno amazônico.
A metodologia técnica nos canteiros de obras é baseada nas palestras para divulgar ações de prevenção a focos do mosquito, além da massificação de informações sobre prevenção às doenças, locais de realização de exames, sintomas e tratamento de saúde dos trabalhadores e suas famílias.
Dados recentes divulgados no Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde apontam que os casos de chikungunya cresceram 889,60% no Pará no período de um ano - em 2015 foram 327, e no ano passado chegaram a 3.236. Foram computados 4.291 casos suspeitos de Zika – 95 dos quais com registro de microcefalia e outras alterações do sistema nervoso. A dengue saltou de 7.505 para 10.787 no mesmo período e um aumento de 43,73% de notificações.
Como esses índices tiveram um aumento alarmante, na edição 2017 do projeto, novamente o sindicato lançou sua campanha contra o mosquito Aedes Aegypti, com prioridade para os primeiros meses correspondentes ao período de maior intensidade de chuvas. O alerta é direcionado para o perigo de possíveis criadouros nos canteiros de obras, ambientes domésticos, em calhas, entulhos, lixo e recipientes com água parada, como baldes e pneus. De acordo com o LIRAa (Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti) o lixo representou o maior índice de risco como principal tipo de criadouro do Aedes Aegypti.
O Sinduscon-PA iniciou no dia 30 de janeiro a série do Módulo Especial. A programação inaugural foi realizada no canteiro de obras “São João de Deus”, pertencente à empresa Link da Amazônia, situado na Avenida Generalíssimo Deodoro, 868, Umarizal, para um público previsto em mais de 200 trabalhadores.
Tão importante quanto levantar obras, o Sinduscon-PA entende que é preciso cuidar dessas pessoas que se dedicam sob sol e chuva para tornar possíveis importantes empreendimentos da construção.
O Sinduscon-PA está recebendo solicitações das empresas do setor da construção civil para o calendário anual de aplicação das suas palestras gratuitas.
Os pedidos podem ser feitos por meio do site www.sindusconpa.org.br, telefones 3241-8383 e 98162-1664, e-mail csaudavel@sindusconpa.org.br, ou diretamente na Central de Serviços, localizada na avenida Dr. Moraes, entre as avenidas Nazaré e José Malcher, bairro de Nazaré.