Construção Saudável

O Construção Saudável + é um projeto de amplo valor social criado pelo Sinduscon-PA que atende, de forma inédita e exclusiva, trabalhadores do setor da construção civil no âmbito da saúde e qualidade de vida, bem como a públicos que participam de seus meios de convivência. Conduzido em convênio com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), ele faz parte das ações direcionadas do Projeto Desenvolvimento Sustentável do Setor da Construção na Região Metropolitana de Belém.
O sindicato, por meio de sua Central de Serviços, dispõe de um corpo técnico que, com base científica, desenvolve planejamento e prepara o material para os módulos que são aplicados nos canteiros. Os temas são definidos por sondagem aplicada aos trabalhadores durante sua participação nas palestras, que são totalmente gratuitas.
Coordenado pela Central, o projeto surgiu de uma campanha em julho de 2011 com o propósito de contribuir para a qualidade de vida dos trabalhadores do segmento. Nesses seis anos de execução foram criados cinco módulos individuais de palestras socioeducativas sobre prevenção de doenças específicas, despertando interesse crescente de empresas e dos próprios colaboradores. Uma dessas experiências temáticas refere-se à violência doméstica, obtendo imediata adesão interinstitucional.
Com indicação ao prêmio de Responsabilidade Social da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), o Construção Saudável+ é considerado de fundamental importância para disseminar orientações preventivas na área de saúde e do comportamento social, consolidando um verdadeiro legado de cidadania no Estado. O projeto já alcançou em torno de 44 mil profissionais em canteiros de obras na Região Metropolitana de Belém (RMB).
Os trabalhadores são os grandes protagonistas e considerados a razão de ser do Construção Saudável. Foram eles que ajudaram a escolher os temas desde o início, após consulta direta que recebeu amplo acompanhamento técnico.
Em novembro de 2016, o Sinduscon-PA inaugurou uma extensão do projeto, batizada de “Construção Saudável+”. A assinatura de parceria, em solenidade presidida pelo desembargador Constantino Guerreiro, então presidente do Tribunal de Justiça do Estado (TJPA), com acordo firmado juntamente com a Fundação Pro Paz e a Secretaria Extraordinária de Integração de Políticas Sociais (SEEIPS), irá vigorar pelos próximos três anos.
O objetivo dessa nova fase é garantir a troca mútua e envidar esforços para diversificar as temáticas e expandir o projeto pelo interior do Estado, utilizando a infraestrutura dos parceiros.
O TJPA atua praticamente em todo o Estado e o Pro Paz desenvolve trabalho permanente em oito municípios, correspondentes a polos regionais, com políticas sociais eficazes e que darão segurança de expandir o projeto com planejamento e consultoria técnica necessários.
Em seis anos de atividades, o projeto contém cinco eixos ativos englobando catorze temas. O Circuito Saúde que faz parte do módulo Mais é desenvolvido em parceria com o Serviço Social da Indústria (Sesi), que disponibiliza unidade móvel com médico e auxiliares que atendem os trabalhadores em horários agendados dentro do canteiro de obra. O Construção Saudável+ totalizou até agora 44.756 trabalhadores beneficiados, com a participação de 235 empresas e 346 canteiros de obras na RMB.


 

Combate ao Aedes aegypti

O Módulo Especial, que trata das endemias de dengue, febre Chikungunya e Zika vírus foi lançado em janeiro de 2016 devido ao aumento dos índices de doenças causadas pelo mosquito, sobretudo no período do inverno amazônico.
A metodologia técnica nos canteiros de obras é baseada nas palestras para divulgar ações de prevenção a focos do mosquito, além da massificação de informações sobre prevenção às enfermidades, locais de realização de exames, sintomas e tratamento de saúde dos trabalhadores e suas famílias.
Dados recentes divulgados no Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúd e apontam que os casos de chikungunya cresceram 889,60% no Pará no período de um ano - em 2015 foram 327, e no ano passado chegaram a 3.236. Foram computados 4.291 casos suspeitos de Zika – 95 dos quais com registro de microcefalia e outras alterações do sistema nervoso. A dengue saltou de 7.505 para 10.787 no mesmo período e um aumento de 43,73% de notificações.
Como esses índices tiveram um aumento alarmante, na edição 2017 do projeto, novamente o sindicato lançou sua campanha contra o mosquito Aedes aegypti, com prioridade para os primeiros meses correspondentes ao período de maior intensidade de chuvas. O alerta é direcionado para o perigo de possíveis criadouros nos canteiros de obras, ambientes domésticos, em calhas, entulhos, lixo e recipientes com água parada, como baldes e pneus. De acordo com o LIRAa (Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti) o lixo representou o maior índice de risco como principal tipo de criadouro do Aedes.
O Sinduscon-PA iniciou no dia 30 de janeiro a série do Módulo Especial. A programação inaugural foi realizada no canteiro de obras “São João de Deus”, pertencente à empresa Link da Amazônia, situado na Avenida Generalíssimo Deodoro, 868, Umarizal, para um público previsto em mais de 200 trabalhadores.
A metodologia técnica nos canteiros de obras é baseada nas palestras para divulgar ações de prevenção a focos do mosquito, além da massificação de informações sobre prevenção às enfermidades, locais de realização de exames, sintomas e tratamento de saúde dos trabalhadores e suas famílias.
Os pedidos podem ser feitos por meio dos telefones 3241-8383 e 98162-1664, www.sindusconpa.org.br, e-mailcsaudavel@sindusconpa.org.br.

“Circuito Cidadania”

De 20 a 24 de fevereiro, a Central de Serviços promoveu a série de palestras intitulada “Circuito Cidadania” com diversos parceiros, entre os quais o Sistema Fiepa (Senai e Sesi), contemplando cerca de 2 mil trabalhadores em um total de quinze canteiros de obras de Belém.

Considerado resultado e parte integrante do projeto Construção Saudável+, o Circuito, que marcou os 75 anos do sindicato, data festiva comemorada no dia 26 de fevereiro, consistiu numa programação de prestação de serviços que beneficiou empresas e sobretudo e profissionais nos canteiros com três abordagens temáticas diárias e rotativas, selecionadas e de grande interesse social.
Durante a semana, foi aplicado o Módulo Especial, que contém orientações sobre as doenças provocadas pelo mosquito Aedes aegypti. Na ocasião, houve a utilização de Unidade Móvel do Sesi para a realização de atendimentos odontológico e de saúde preventiva.
O segundo enfoque modular do Circuito foi “Violência doméstica e familiar”, com a participação de psicólogos e assistentes sociais do Pro Paz Mulher e TJPA. Houve ainda o lançamento do 14º tema, denominado “Comportamento seguro nos canteiros de obras”, conduzido por técnicos do Senai.
O Sinduscon-PA está recebendo solicitações das empresas do setor da construção civil para o calendário anual de aplicação das suas palestras gratuitas, na Central de Serviços, localizada na avenida Dr. Moraes, entre as avenidas Nazaré e José Malcher, bairro Nazaré.

“Recorde”
O Dia Nacional da Construção Social 2017 alcançou um índice histórico com 17.601 atendimentos, o Pará bateu seu recorde na 3ª edição do evento, segundo o melhor colocado na região Norte e ocupando a 5ª colocação no País.
A ocasião marcou também o alcance de mais de 40 mil atendimentos do projeto Construção Saudável, durante o Circuito Cidadania DNCS-2017, com o apoio do Tribunal de Justiça do Estado (TJPA) e a Fundação Pro Paz. O projeto é desenvolvido pela Central de Serviços do sindicato desde 2011 e vem ganhando novos parceiros a cada ano.