Construção Saudável - Informativo

BOLETIM INFORMATIVO - ANO 11 - Nº 134/NOVEMBRO 2016
04/11/2016
Pro Paz palestra sobre violência doméstica para 100 operários da construção civil

Cem operários da construção civil debateram um assunto ainda tido como tabu para o público masculino: a violência doméstica
Foto: Cláudio Santos/ Ag. Pará
O trabalhador da construção civil Mário Ferreira (34) iniciou suas atividades de maneira diferente na manhã desta sexta-feira, 4, no canteiro de obras de uma construtora, localizado na Rodovia Mário Covas, em Belém. Ele integrou um grupo de outros 100 operários para debater um assunto ainda tido como tabu para o público masculino: a violência doméstica. De acordo com o profissional, casado e pai de dois filhos, foi a primeira vez, em dez anos de atuação nesta área, que participou de uma palestra sobre o assunto.
“Achei esse momento muito importante. Inclusive, pude identificar situações próximas em que mulheres são humilhadas e têm seus direitos violados. É muito importante esse tipo de trabalho, pois a violência doméstica é mais comum do que a gente imagina e o homem precisa atentar para isso e proteger a sua família”, opinou.
O projeto foi idealizado pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado do Pará (Sinduscon), mas agora conta com a parceria da Fundação Pro Paz, por meio do Pro Paz Mulher, e Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJE/PA), que desenvolve o programa “Mãos à obra –trabalhadores no combate à violência contra a mulher”, da Coordenadoria Estadual das Mulheres em Situação de Violência. De acordo com o sindicato, as palestras surgiram de um levantamento de necessidades da sua Central de Serviços e a violência contra a mulher foi um dos temas escolhidos pelos próprios trabalhadores.
“Vamos lançar uma parceria muito maior com o Pro Paz, aproximando ainda mais o público da indústria da construção paraense com os serviços da fundação e do tribunal. Nossa expectativa é a melhor possível, pois queremos trabalhadores felizes, emancipados dos seus sentimentos, com desenvolvimento crítico e empoderamento cidadão”, detalhou Eliana Farias, gestora da Central de Serviços da Sinduscon.
Para a assistente social do Pro Paz Mulher, Patrícia Brito, é preciso democratizar conhecimento e quebrar os tabus.“Geralmente, pensam que essas informações precisam chegar apenas às mulheres, mas as estatísticas mostram que o homem é o agressor e muitos deles são agressores inconscientes. Falar da Lei Maria da Penha, mostra essas formas de violência, os males que elas causam às vítimas e como um criminoso é punido são temas fundamentais para que muitas violações sejam evitadas”, esclarece.
Já para o TJE, integrar o projeto é um passo importante para a garantia de direitos. “Hoje estamos falando para homens que não teriam tempo de ouvir sobre este tema em outros lugares, por conta do trabalho. Nosso maior desafio é desmistificar o preconceito com a Lei Maria da Penha e mostrar a eles a importância dessa lei para a sociedade”, explicou.
Fonte: Agência Pará, por Nil Muniz
http://www.agenciapara.com.br/Noticia/137832/pro-paz-palestra-sobre-violencia-domestica-para-100-operarios-da-construcao-civil


CONSTRUÇÃO SAUDÁVEL+ SUPERA MARCA
Os cinco módulos de palestras foram levados a 27 empresas nos três primeiros meses do ano

O projeto Construção Saudável+ já ultrapassou os 3 mil atendimentos em 2017. De janeiro a março foram 3.454 trabalhadores beneficiados por palestras educativas realizadas em 22 canteiros de obras pela equipe da Central de Serviços.

Além de Belém, as ações foram desenvolvidas em Ananindeua, na Região Metropolitana (RMB) e no município de Barcarena, nordeste do Pará. Cinco canteiros receberam as palestras, de caráter basicamente de cudados preventivos. Trabalhadores de 27 empresas, entre construtoras e terceirizadas, participaram do projeto.

O Módulo Mais que engloba os novos temas “Violência doméstica e familiar” e “Comportamento segu ro nos canteiros de obras” foi o mais requisitado, com 1.377 participantes. O Módulo Especial, sobre as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, atendeu 1.049 trabalhadores. Lançado em janeiro de 2016 devdo o aumento dos índices das doenças causadas pelo mosquito, sobretudo no período do inverno amazônico, esse módulo trata das endemias de dengue, febre Chkungunya e Zika vírus.

A metodologia nos canteiros de obras é baseada nas palestras técnicas para divulgar ações de prevenção a focos do mosquito, além da massificação de informações sobre o risco às doenças, locais de realização de exames, sintomas e tratamento de saúde dos trabalhadores e suas famílias.
Também foram realizadas as palestras dos módulos I, II, III. O primeiro enfoca detalhes sobre a dengue, hanseníase e tuberculose; o segundo, DSTs, tabagismo e alcoolismo; já o terceiro aborda a diabete, hipertensão e lombalgia.

O canteiro do Shopping Metrópole Ananindeua, localizado na rodovia Mário Covas, bairro do Coqueiro, recebeu a série de quatro palestras oferecidas (módulos I, II, III e Especial), registrando a maior plateia: 548 colaboradores. Para Silvana Carvalho, técnica em Segurança do Trabalho na obra, a parceria com o Sinduscon-PA gera resultados muito satisfatórios na conscientização dos trabalhadores sobre os cuidados com a saúde.

“Esta é a segunda vez que recebemos a série de palestras, e tivemos uma novidade, que foi o Módulo Especial, explicando inclusive sobre a febre amarela, que tanto tem preocupado”, observou ela. “O resultado é muIto bom porque é importante oferecer ao trabalhador informações sobre as doenças e os métodos de prevenção.”