Construção Saudável - Informativo

BOLETIM INFORMATIVO - ANO 11 - Nº 134/NOVEMBRO 2016
04/11/2016
Pro Paz palestra sobre violência doméstica para 100 operários da construção civil

Cem operários da construção civil debateram um assunto ainda tido como tabu para o público masculino: a violência doméstica
Foto: Cláudio Santos/ Ag. Pará
O trabalhador da construção civil Mário Ferreira (34) iniciou suas atividades de maneira diferente na manhã desta sexta-feira, 4, no canteiro de obras de uma construtora, localizado na Rodovia Mário Covas, em Belém. Ele integrou um grupo de outros 100 operários para debater um assunto ainda tido como tabu para o público masculino: a violência doméstica. De acordo com o profissional, casado e pai de dois filhos, foi a primeira vez, em dez anos de atuação nesta área, que participou de uma palestra sobre o assunto.
“Achei esse momento muito importante. Inclusive, pude identificar situações próximas em que mulheres são humilhadas e têm seus direitos violados. É muito importante esse tipo de trabalho, pois a violência doméstica é mais comum do que a gente imagina e o homem precisa atentar para isso e proteger a sua família”, opinou.
O projeto foi idealizado pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado do Pará (Sinduscon), mas agora conta com a parceria da Fundação Pro Paz, por meio do Pro Paz Mulher, e Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJE/PA), que desenvolve o programa “Mãos à obra –trabalhadores no combate à violência contra a mulher”, da Coordenadoria Estadual das Mulheres em Situação de Violência. De acordo com o sindicato, as palestras surgiram de um levantamento de necessidades da sua Central de Serviços e a violência contra a mulher foi um dos temas escolhidos pelos próprios trabalhadores.
“Vamos lançar uma parceria muito maior com o Pro Paz, aproximando ainda mais o público da indústria da construção paraense com os serviços da fundação e do tribunal. Nossa expectativa é a melhor possível, pois queremos trabalhadores felizes, emancipados dos seus sentimentos, com desenvolvimento crítico e empoderamento cidadão”, detalhou Eliana Farias, gestora da Central de Serviços da Sinduscon.
Para a assistente social do Pro Paz Mulher, Patrícia Brito, é preciso democratizar conhecimento e quebrar os tabus.“Geralmente, pensam que essas informações precisam chegar apenas às mulheres, mas as estatísticas mostram que o homem é o agressor e muitos deles são agressores inconscientes. Falar da Lei Maria da Penha, mostra essas formas de violência, os males que elas causam às vítimas e como um criminoso é punido são temas fundamentais para que muitas violações sejam evitadas”, esclarece.
Já para o TJE, integrar o projeto é um passo importante para a garantia de direitos. “Hoje estamos falando para homens que não teriam tempo de ouvir sobre este tema em outros lugares, por conta do trabalho. Nosso maior desafio é desmistificar o preconceito com a Lei Maria da Penha e mostrar a eles a importância dessa lei para a sociedade”, explicou.
Fonte: Agência Pará, por Nil Muniz
http://www.agenciapara.com.br/Noticia/137832/pro-paz-palestra-sobre-violencia-domestica-para-100-operarios-da-construcao-civil


DNCS PARÁ É O MAIOR NA REGIÃO NORTE
Em seu terceiro ano, programação supera 17 mil atendimentos e fica em 5º lugar no Paí

O dia 19 de agosto entrou para a história da construção civil do Pará. Com 17.601 atendimentos, o Estado bateu seu recorde na terceira edição do Dia Nacional da Construção Civil (DNCS) em Belém, sendo o melhor colocado da região norte e ocupando a quinta colocação no País. A data marcou também o alcance de 40 mil atendimentos do projeto Construção Saudável, desenvolvido pela Central de Serviços do Sinduscon-PA.
“O que nos deixa dignificados é que muito do que temos defendido são coisas que transcendem o interesse empresarial da Construção Civil”, declarou o presidente do Sinduscon-PA, Alex Carvalho.
Promovida pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) por meio do seu Fórum de Ação Social e Cidadania (FASC), a programação ocorreu simultaneamente em 31 localidades, alcançando 227 mil atendimentos para mais de 56 mil trabalhadores, segundo contagem oficial da CBIC.
No Pará, o DNCS teve apoio do Sistema Fiepa (Federação das Indústrias do Estado do Pará) e Seconci-Brasil (Serviço Social da Construção Civil), com organização do Sinduscon-PA e Sesi-Ananindeua. O evento contou com 26 entidades parceiras e ofereceu mais de 40 serviços gratuitos.
“O DNCS é o dia que nós podemos discutir temas de altíssima relevância, que é a valorização do trabalhador, da sua família. A adesão dos parceiros cada vez mais forte, o número de inscritos cada vez maior, demonstram que tudo o que estamos levando para o trabalhador tem sustentação na sinergia e confiança. Com o diálogo, temos certeza de que, ao dar as mãos, se chega longe”, declarou Alex Carvalho.

Com a contagem superior a 17 mil atendimentos e mais de 5 mil beneficiados, o Pará ficou à frente do Amazonas, que contabilizou 13.666, ficando em segundo lugar no norte, ocupando a quinta colocação nacional, atrás apenas de Santa Catarina (28.028), Ceará (22.090), Rio Grande do Sul (21.093) e Paraná (20.252).
“Ficamos muito felizes em saber que o Pará teve um número expressivo de atendimentos nesta edição do DNCS”, celebrou o presidente da Federação das Indústrias do Pará (Fiepa), José Conrado Santos. “O Sistema Fiepa acredita muito nessa iniciativa de responsabilidade social, pois sabe dos benefícios que traz para os trabalhadores da indústria da construção civil e suas famílias.
Com o slogan “Minhas escolhas, meu País”, o DNCS 2017 buscou mostrar que as escolhas de cada indivíduo podem fazer a diferença. O objetivo foi “empoderar” o cidadão, mostrar que ele pode ser a transformação que deseja ver no Brasil.
“Nosso esforço é mobilizar trabalhadores, empresas, todos para que a gente defenda o que é bom para o Brasil, aquilo que se sustenta e que vai fazer com que nossos filhos e netos vivam em uma sociedade mais justa, equilibrada, próspera. É assim que vamos conseguir mudar o futuro desse País”, completou o presidente do Sinduscon-PA, Alex Carvalho.
Serviços
A população teve acesso a ações de lazer, cidadania, educação, vacinas, exames e consultas de saúde, emissão de documentos, orientação sobre direitos, serviços de recadastramento biométrico e atualização do título de eleitor, além de diversos sorteios e premiações com bicicletas e celulares.
A emissão de documentos e a assessoria jurídica foram os mais procurados, com 11.862 atendimentos realizados. A Fundação ProPaz Cidadania, do governo do Estado, foi uma das entidades à frente desses serviços no DNCS 2017. Participando pela segunda vez consecutiva do DNCS, o ProPaz ofereceu este ano oito serviços diferentes, com destaque na área jurídica e de saúde, além da emissão de documentos.
“Essa ação dá oportunidade ao cidadão que não tem tempo de buscar esses serviços, não têm recursos para pagar por eles”, disse Antônio Valério Couceiro, vice-presidente do Sinduscon-PA. “Eles vêm aqui e conseguem resolver várias questões de uma só vez, tudo gratuitamente. Os órgãos deveriam sempre se unir e prestar esse auxílio”, completou.
“Estamos satisfeitos em participar dessa programação do Sinduscon-PA e da própria indústria da construção, que reserva esse dia para beneficiar seus principais agentes, que são seus trabalhadores, incluindo as famílias, e isso é digno de louvor”, disse Vagno Silva, coordenador do ProPaz Cidadania.
“Nossa fundação sabe o quanto o trabalhador da construção necessita de cuidados por fazer parte de uma gama de atividades de riscos. Já iniciamos com o Sinduscon-PA o projeto que envolve palestras nos canteiros de obras, outra iniciativa do sindicato que vem dando ótimos resultados”, complementou o coordenador.
A assessoria jurídica foi reforçada. O advogado Ofir Nobre da Silva Netto, que representou o escritório Silveira, Athias, Soriano de Mello Guimarães, Pinheiro & Scaff disse que “é sempre um prazer participar desse evento, que classificamos de grandioso para uma importante classe segmentada”.
“Estamos apoiando e pretendemos continuar parceiros. O escritório, que tem uma tradição de 40 anos e cerca de dez filiais, inclusive no exterior, somando em torno de 200 advogados, está honrado em se aliar ao Sinduscon-PA e CBIC no DNCS. Se depender da gente, essa parceria será muito duradoura”, garantiu.
Além da emissão de documentos, o DNCS deste ano trouxe mais um importante serviço: o Sinduscon-PA, em parceria com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), ofereceu a tecnologia biométrica, que será obrigatória para o eleitor em 2018.
Foram atendidos eleitores de Belém, Ananindeua e Marituba para transferência de endereço, o recadastramento biométrico, atualização de cadastro e a emissão de novos títulos. O TRE também irá regularizou pendências junto à Justiça Eleitoral.
Foram realizados 2.203 atendimentos de saúde como atendimento odontológico, avaliação nutricional, verificação de pressão arterial, teste de glicemia e índice de massa corpórea, consultas médicas de clínica geral, pediatria e ginecologia, testes rápidos de Hepatite C, B e sífilis. Os participantes puderam também se vacinar contra Influenza A, febre amarela e tétano. Houve ainda o cadastro para doação de medula óssea e sangue.
Cláudia Moura, médica da Secretaria de Saúde do Estado do Pará (Sespa), que pelo primeiro ano apoia o evento, destacou a importância da mobilização para o acesso a cuidados com a saúde e prevenção a doenças. “O evento dá oportunidade a uma população mais carente que, na maioria das vezes, tem mais dificuldade de chegar a um posto de saúde para fazer exames de rotina, e é muito gratificante participar dessa grande equipe, engajada na transformação de uma sociedade mais consciente e saudável”, aprovou ela.
Cuidados de beleza e lazer alcançaram 2.955 atendimentos, como corte de cabelo, design de sobrancelhas e higienização facial e também massagem. Para as crianças, brincadeiras educativas e pinturas, jogos de aventura e pula-pula, além de teatro, balé, danças folclóricas e contação de história. Para animar, a bateria do Rancho Não Posso Me Amofiná apresentou sambas e marchinhas de Carnaval. Houve ainda aulão de ginástica e show do humorista Epaminondas.
Foram realizados 581 atendimentos educativos, entre os quais promovidos pelo projeto Amigos de Belém, Organização Não-Governamental (ONG) dedicada ao estímulo à cidadania, voluntariado e sustentabilidade ambiental na Grande Belém.
“Levamos várias informações e contamos com a participação de dois atores que fizeram um show de palhaços de maneira muito lúdica: uma menos responsável, foi sujando e deixando rastros, e o outro, mais consciente. Houve interação com o público sobre o ambiente e cuidados com o lixo”, explicou o doutor em Ciências Ambientais e ativista social Paulo Pinho.
“Divulgamos também outra ação, o Re-Pa Solidário, articulado em parceria com os nossos parceiros Remo e Paysandu. O projeto consiste na venda de camisas, e esse valor arrecadado será integralmente repassado a instituições que já atuam na Grande Belém nas mais diversas frentes socioambientais”, completou ele.
Futebol society
O DNCS celebrou a paixão nacional e reuniu 30 times para o 2º torneio de futebol society. Trabalhadores de dezenove construtoras participaram reunindo um total de 354 jogadores. O Triunfo, time da construtora Leal Moreira, foi o grande campeão.
“Não é bom viver somente de trabalho: vamos viver também de saúde, lazer e educação, pois eu acho isso muito importante para as famílias, e poder participar das maravilhas que o Sesi e Sinduscon-PA estão oferecendo para nós é uma alegria”, disse o mestre de obras Sílvio Evangelista Lopes, trabalhador da Leal Moreira e capitão do time Triunfo.
“Quero dar parabéns e agradecer pelo evento. Fico até emocionado porque eu já tenho muitos anos na construção civil, e esse evento é algo muito precioso para nós”, completou ele.
O artilheiro do campeonato foi Jorge Freitas, encanador da Citing Construtora. “Graças a Deus o dia foi lindo e deu tudo certo. Trouxe minha filha e minha mulher e estou feliz por esse dia abençoado”, comemorou Freitas, que foi presenteado com um celular.
Construção Saudável
A programação também marcou outro número histórico: o alcance de 40 mil atendimentos do projeto Construção Saudável, desenvolvido desde 2011 pela Central de Serviços do Sinduscon-PA nos canteiros de obras da Grande Belém.
Nessa marca histórica, foi contemplada a balconista Kassilene Jesus Rocha, que veio ao DNCS para retirar documentos e obter consulta médica. Ela também foi presenteada com um telefone celular.
“Gostei muito do atendimento, foi muito rápido. Fiquei surpresa de ter sido o número 40 mil e feliz por representar tantas pessoas que estão precisando”, comemorou ela, acompanhada do marido, Marcelo Neves, trabalhador da construtora Leal Moreira, e de dois filhos.
Aprovação
O sucesso do evento em 2017 foi celebrado pelo Sesi. A entidade considera a parceria no DNCS cada vez mais consolidada e promissora. O coordenador de Operações do órgão, Aderson Pessoa, afirmou que o conjunto de serviços prestados no evento é “de importância e valor incalculável”.
Para o vice-presidente da Federação das Indústrias do Pará (Fiepa), José Maria Mendonça, que também preside o Centro das Indústrias do Pará (CIP), “o Sinduscon-PA, a CBIC e parceiros demonstram para os governos como a população gostaria de ser tratada: com atenção, respeito e cuidados”.

“A Fiepa participa com o seu Sistema porque esse é o nosso papel, ou seja, dar atenção às pessoas, um exemplo a ser seguido”, declarou Mendonça.
Dário Lemos, diretor do Senai, também externou grande satisfação com a parceria na realização do DNCS. “É muito gratificante para nós ver a preocupação do setor da construção civil em não se limitar a construir espaços físicos como prédios, moradias, mas sim em construir a cidadania das pessoas”, declarou.
“Nosso Brasil está precisando de movimentos como esse, que não esteja preocupado somente com a sua atividade, com o seu ofício, mas para que sua atividade tenha um crescimento pleno. Precisamos estar atentos também com todas as pessoas envolvidas nesse processo. É uma iniciativa louvável”, parabenizou.
A diretora de Relação do Trabalho do Sinduscon-PA, Lecy Garcia, destacou que o DNCS é “um momento de congraçamento, uma demonstração de reconhecimento e da importância sobre trabalhadores e suas famílias”.
“O DNCS de 2017 teve como foco o tema ‘Minhas escolhas, meu País’, que provoca uma reflexão sobre o poder de mudança que todo cidadão brasileiro carrega dentro de si. Cada um pode fazer o seu próprio papel na construção, ou melhor, na reconstrução do Brasil. Essa força que temos é que poderá nos levar a transformar essa terra em que vivemos, essa nação, num lugar que merecemos ter”.
“O DNCS tem grande importância, pois há grande interação entre as empresas e as pessoas e dá ao colaborador a certeza de não estar sozinho e de ser importante”, disse Edinair Guimaraes, técnica em Segurança do Trabalho da Quanta Engenharia e voluntária do DNCS-2017.
“É bom ocupar o tempo ajudando o próximo, principalmente em prol de uma causa social”, celebra Yan Victor Rocha de Brito, assistente de suprimentos e auxiliar de compras da Sintese Moradia, que pelo segundo ano atua voluntariamente no DNCS. “É muito prazeroso poder contribuir junto com o Sinduscon-PA para a magnitude deste evento”, avaliou.
QUEM É QUEM NO DNCS-2017
No total, em Belém, 26 entidades parcerias apoiaram o evento: Associação Amigos de Belém, Bernardes Consultoria, Casa Dia (Centro de ATS em Doenças Infectocontagiosas Adquiridas), Secretaria Municipal de Saúde de Belém, Celpa (Centrais Elétricas do Pará), Centro de Educação Profissional DNA, Corpo de Bombeiros de Ananindeua – 3º Batalhão de Polícia Militar (BPM), Cruz Vermelha, Departamento de Trânsito do Pará (Detran-PA), Escola Superior Madre Celeste (Esmac), Fundação PRO PAZ, G2 Comunicação, Grupo Terceira Idade, Hemopa (Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará), Instituto Embelleze, Mary Kay, Centro de Educação Profissional DNA, RMB Tecnologia, Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), Silveira, Athias, Soriano de Mello, Guimarães, Pinheiro & Scaff – Advogados, Tribunal de Justiça do Pará (TJE-PA), Unama (Universidade da Amazônia), Semutran (Secretaria Municipal de Trânsito) de Ananindeua, além do Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), além de três gerências do Sesi (Cultura, Esporte e Lazer; Gerência de Educação; Qualidade de Vida), e o projeto Construção Saudável, do Sinduscon-PA.
O evento contou com o patrocínio da Santa Rita Engenharia, Emtel Ltda., Hoyos Engenharia, GM Engenharia, Mape Engenharia, Terraplena, Laje Construções, Freire Mello Ltda, Silveira, Athias, Soriano de Mello, Guimarães, Pinheiro & Scaff – Advogados, Consorcio SPE Paricas (Atan, Mape, Laje e Engefix), Consorcio Amazônia (Mape, Laje, Quadra), JGS Corretora de Seguros, Stylus Construção Civil e Serviços Ltda, Polienge Engenharia, Sintese Moradia, Quadra Engenharia, Cimento Votorantim, Concrem Wood, Coopercon/PA e Super Massa.